Tripanofobia (Medo de Agulhas) – Causas, Sintomas e Tratamentos

tripanofobia - sintomas, causas e tratamentos possiveis

Tudo Sobre Tripanofobia – Medo de Agulhas e injeções

A fobia que é provavelmente uma das mais difíceis de controlar em termos de números reais de doentes é a tripanofobia, mais conhecida como fobia a agulhas. A razão é que muitas pessoas simplesmente não enfrentarão os seus medos e evitarão o tratamento médico a todo o custo, o que dificulta, em primeiro lugar, a sua existência.



O que é tripanofobia?

A tripanofobia é um medo extremo de procedimentos médicos que envolvem injeções ou agulhas hipodérmicas. As crianças têm especialmente medo de agulhas porque não estão habituadas à sensação de que a sua pele está a ser picada por algo afiado. Quando a maioria das pessoas atinge a idade adulta, podem tolerar as agulhas muito mais facilmente.

Mas para alguns, o medo das agulhas permanece com elas até à idade adulta. Por vezes, este medo pode ser extremamente intenso.


O Medo dos Procedimentos Médicos

Embora a tripanofobia seja específica das agulhas, as pessoas que vivem com fobia muitas vezes temem procedimentos médicos durante dias e até semanas antes de eles acontecerem. Enquanto esperam para ir ao médico, podem ter tensão arterial elevada e sofrer ataques de pânico ao pensar na consulta. Quando chega ao consultório médico, pode acontecer o contrário: o seu ritmo cardíaco pode desmaiar, provocando-lhe um desmaio.

Viver no pavor constante de consultas básicas e de procedimentos médicos normais que demoram menos de um minuto a concluir não é forma de viver. Se não conseguir obter os cuidados médicos de que necessita devido à sua fobia de agulhas, está na hora de se tratar.


O que leva as pessoas a desenvolver a tripanofobia

Os médicos não sabem exatamente porque é que algumas pessoas desenvolvem fobias e outras não.

Alguns fatores que levam ao desenvolvimento desta fobia incluem:

  • Experiências de vida negativas ou traumas anteriores provocados por um objeto, ou situação específica.
  • Familiares que tenham tido fobias (o que pode estar a sugerir um comportamento genético ou aprendido)
  • Alterações na química do cérebro
  • Fobias de infância que surgiram aos 10 anos de idade
  • Um temperamento sensível, inibidor ou negativo
  • Aprender sobre informações ou experiências negativas

No caso da tripanofobia, certos aspetos das agulhas causam frequentemente a fobia.

Isto pode incluir:

  • desmaio ou tonturas graves como resultado de uma reação de reflexo vasovagal quando picado por uma agulha
  • más memórias e ansiedade, tais como memórias de injeções dolorosas, que podem ser despoletadas pela visão de uma agulha
  • receios ou hipocondria relacionados com médicos
  • sensibilidade à dor, que tende a ser genética e causa elevada ansiedade, tensão arterial ou frequência cardíaca durante os
  • procedimentos médicos que envolvem uma agulha
  • o medo da contenção, que pode ser confundido com a tripanofobia, porque muitas pessoas que recebem injeções são contido

 


Quais são os sintomas da tripanofobia?

Os sintomas de tripanofobia podem interferir grandemente na qualidade de vida de uma pessoa. Estes sintomas podem ser tão intensos que podem ser debilitantes. Os sintomas estão presentes quando uma pessoa vê agulhas ou é informada de que terá de se submeter a um procedimento que envolve agulhas.

Como todas as outras fobias, os sintomas da tripanofobia variam de pessoa para pessoa. Não é a mesma coisa para todos. Mas para todos os que sofrem, há um certo grau de dificuldade no seu dia a dia, devido ao medo. O medo pode ser tão intenso que se torna debilitante.
Os sintomas podem começar a aparecer mesmo quando o doente vê apenas uma imagem de uma agulha ou é falado sobre uma agulha. O sofrimento do medo de agulhas e injeções apresentará os seguintes sintomas:

  • tonturas
  • desmaio
  • ansiedade
  • insónias
  • ataques de pânico
  • tensão arterial elevada
  • ritmo cardíaco de corrida
  • sentir-se emocionalmente ou fisicamente violento
  • evitar ou fugir dos cuidados médicos

 


 

Como é diagnosticada a tripanofobia?

Um medo extremo de agulhas pode interferir com a capacidade do seu médico para o tratar. Por isso, é importante que esta fobia seja tratada.

O seu médico irá primeiro descartar qualquer doença física, realizando um exame médico. Depois pode recomendar-lhe que consulte um especialista em cuidados de saúde mental. O especialista irá fazer-lhe perguntas sobre as suas histórias de saúde mental e física. Pedir-lhe-ão também que descreva os seus sintomas.

Um diagnóstico de tripanofobia é geralmente feito se o medo de agulhas tiver interferido em alguma parte da sua vida.

 


Causas da Tripanofobia

A maioria das pessoas desenvolve este medo através de uma experiência traumática percebida com uma agulha. Isto pode ser devido a uma variedade de situações que normalmente acontecem na infância, mas a tripanofobia também pode desenvolver-se na idade adulta. O medo pode desenvolver-se simplesmente a partir de uma injeção de rotina que uma criança considera aterradora e não consegue compreender porque é que os seus pais não os protegem da dor. Ou talvez a injeção tenha falhado uma veia e tenha tido de ser feita várias vezes para tirar sangue.

Algo como um acidente traumático ou um problema de saúde em que uma criança, ou um adulto tem de passar muito tempo no hospital constantemente a receber injecções pode desencadear a fobia. Uma criança pode também ter testemunhado o sofrimento familiar no hospital a receber injecções e possivelmente a morrer. Isto poderia criar um medo de agulhas juntamente com os médicos (Latrofobia), hospitais (Nosocomefobia), e o medo da morte (Tanatofobia).

Outra razão é que se a criança fosse avisada por um dos pais ou por um adulto em quem confiam para nunca tocar nas agulhas porque estão “sujas” e podem potencialmente propagar doenças, isto poderia criar um sentimento de terror na mente da criança. Ou se o próprio adulto tivesse a fobia e exibisse medo de injeções. As fobias são facilmente aprendidas com os pais e outros adultos familiares pelas crianças.

Nos adultos, a fobia pode desenvolver-se se receberem más notícias de um resultado positivo para uma doença limitadora da vida ou se alguém próximo a elas o fizer, isto pode ser ligado de volta a agulhas e criar um gatilho subconsciente. Muitas pessoas que têm tripanobfobia também têm um medo extremo geral de qualquer tipo de dor. (Agliofobia)

 


Medos e Fobias Relacionados

Há algumas outras fobias específicas que são semelhantes à tripanofobia e que podem estar presentes para além do medo de agulhas.

Estas incluem:

Algofobia. O medo da dor pode incluir o medo de agulhas, bem como outros eventos médicos e não médicos que podem causar dor.
Hemofobia. O medo de sangue – muitas vezes um problema quando se usam agulhas – pode ser uma fobia co-ocorrente, a par da tripanofobia.

 


Como é tratada a tripanofobia?

O objectivo do tratamento da tripanofobia é abordar a causa subjacente à sua fobia. Assim, o seu tratamento pode ser diferente do de outra pessoa.

Para a maioria das pessoas com tripanofobia é recomendada algum tipo de psicoterapia como tratamento. Isto pode incluir:

Terapia Cognitivo Comportamental (TCC): Isto envolve explorar o seu medo de agulhas nas sessões de terapia e aprender técnicas para lidar com ele. O seu terapeuta irá ajudá-lo a aprender diferentes formas de pensar sobre os seus medos e a forma como eles o afetam. No final, deve afastar-se sentindo confiança ou domínio sobre os seus pensamentos e sentimentos.

Terapia de exposição. Isto é semelhante à TCC na medida em que se concentra em mudar a sua resposta mental e física ao seu medo de agulhas. O seu terapeuta irá expô-lo às agulhas e aos pensamentos relacionados que elas provocam. Por exemplo, o seu terapeuta poderá primeiro mostrar-lhe fotografias de uma agulha. A seguir, podem tê-lo ao lado de uma agulha, segurar uma agulha e depois talvez imaginar ser injetado com uma agulha.

A Medicação é necessária quando uma pessoa está tão stressada que não é recetiva à psicoterapia. Os medicamentos anti ansiedade e sedativos podem relaxar o seu corpo e cérebro o suficiente para reduzir os seus sintomas. Os medicamentos também podem ser usados durante uma análise ao sangue ou vacinação, se ajudar a reduzir o seu stress.

 


Pessoas famosas com Fobias de Agulha

É inaceitável que as pessoas gozem, ridicularizem ou desprezem as preocupações de quem sofre de fobia. Mas é claro que algumas pessoas (também conhecidas como idiotas, cônjuges, filhos, amigos e médicos) provavelmente vão tentar de qualquer maneira. É por isso que quer memorizar esta pequena lista de pessoas famosas que reconheceram publicamente ter fobia à agulha.

Pessoas famosas com fobias incluem Sonny Liston (campeão mundial de boxe), Jackie Chan (estrela das artes marciais), e Alice Cooper (uma estrela de rock totalmente destemida).


Passos para ultrapassar a Tripanofobia

Aqui estão algumas dicas para tornar toda a provação um pouco mais suportável:

1. Respire

Pode parecer óbvio, mas lembre-se de respirar. Inspire profundamente pelo nariz e expire pela boca. Pode também praticar a respiração em caixa, um exercício de respiração com cuidado onde inspira durante quatro segundos, aguenta quatro, expira quatro, aguenta mais quatro e repete.

Imaginar a sua respiração a seguir o exterior de uma caixa, juntamente com uma respiração profunda, pode ajudá-lo a manter-se calmo.

2. Utilize a auto conferência

Trabalhe para interpretar a situação como segura, apesar de se sentir medo

Pode tranquilizar-se pensando em como conseguiu, com sucesso e em segurança, obter uma injeção ou uma análise ao sangue no passado.

Tente não ficar frustrado se os seus pensamentos começarem a entrar em espiral para o que se passa ou para os piores cenários irrealistas. Em vez disso, respire fundo e volte a pensar no que sabe: já fez isto antes, nunca é tão mau como pensa que vai ser, está a fazer isto pela sua saúde e vai ficar bem.

3. Pratique tolerando a sua ansiedade

A auto conferência é um ótimo lugar para começar, mas muitas vezes precisa de ser acompanhada de aprender a tolerar e a lidar com alguma da sua ansiedade.

Você pode ter medo de algo e optar por fazê-lo de qualquer maneira. O medo é apenas uma forma de escolher fazer algo ou não. Não tem de ouvir o seu medo. Enfrentar os seus medos é mais fácil de dizer que de fazer, por isso comece por se dar crédito a si próprio por ir beber um shot ou por ter o seu sangue tirado em primeiro lugar.

Quando começar a sentir-se em pânico, reconheça que o que está a sentir é ansiedade e reserve um momento para se lembrar de que se trata de um falso alarme. Quanto mais você for capaz de se sentar com a sua ansiedade e ainda receber uma injeção, mais o seu corpo aprenderá que não há nada a temer.

4. Distraia-se a si próprio

Embora distrair-se não o ajude a ultrapassar o seu medo, pode ajudá-lo a lidar com ele no momento.
Há muitas maneiras de o fazer, desde falar com o seu flebotomista até desviar o olhar da agulha e trazer um amigo consigo – qualquer coisa que o faça esquecer o que está a acontecer.

Ao desviar o olhar da injeção ou distrair-se, pode reforçar subtilmente a ideia de que as agulhas são perigosas.

Então, deve distrair-se para se sentir melhor no momento?

Depende de si se quer ou não tentar este mecanismo de lidar com a situação, mas uma boa regra geral é que pode ser útil se só precisar de uma injeção ou teste de sangue uma vez por ano, mas provavelmente não é a melhor solução se precisar de obter injeções com mais frequência.

5. Procure ajuda profissional

Se o seu medo o está a impedir de obter os cuidados médicos necessários, pode estar a experimentar a tripanofobia, o medo extremo das agulhas. Isto pode incluir um síndrome vasovagal, que é quando a sua tensão arterial baixa, provocando-lhe um desmaio.

Neste caso, pode ser útil recorrer a um profissional médico para uma abordagem de tratamento formal, como a terapia de exposição. O seu médico irá ajudá-lo a ficar mais confortável com as agulhas, expondo-o a elas de diferentes formas, desde mostrar-lhe imagens de agulhas até, eventualmente, fazer-lhe uma picada no dedo.

Embora a ideia de enfrentar mais agulhas possa parecer pouco atraente, este tratamento ensina o seu corpo que não está em perigo real e pode ajudá-lo a ultrapassar o seu medo.


Conclusão

A melhor maneira de tratar a tripanofobia é abordar a causa subjacente exata da fobia. Só compreendendo o que faz uma pessoa ter medo de agulhas é que a fobia pode ser erradicada. Note-se que a medicação só desempenha um papel na ajuda ao tratamento.
A medicação apenas alivia os sintomas físicos e emocionais que causam stress. É altamente essencial receber psicoterapia para se livrar completamente do medo de agulhas e injeções.

Embora possa parecer algo difícil de fazer, é importante que os pacientes se mantenham fiéis aos seus planos de tratamento e o levem até ao fim. Esta é uma fobia grave, pois afeta a forma como uma pessoa pode receber cuidados médicos em momentos de emergência. Se você ou um ente querido sofre do medo de agulhas, é muito importante que procure assistência médica para superar o medo e voltar a tomar conta da vida.


 

Referências

  1. Trypanophobia. The Medical Dictionary. http://the-medical-dictionary.com/trypanophobia.htm#continue. Accessed March 4, 2014.
  2. Sokolowski CJ, Giovannitti JA Jr, Boynes SG. Needle phobia: etiology, adverse consequences, and patient management. Dent Clin North Am. 2010;54(4):731-744.
  3. Smith M, Segal R, Segal J. Phobias and fears: symptoms, treatment, and self-help for phobias and fears. www.helpguide.org/mental/phobia_symptoms_types_treatment.htm. Published December 2013.
  4. Hamilton JG. Needle phobia: a neglected diagnosis. J Fam Pract. 1995;41(2):169-175. http://web.archive.org/web/20080705023159/http://www.needlephobia.info/pages/Hamilton-Needlephobia.pdf.
  5. James Hamilton (1995). “Needle Phobia – A Neglected Diagnosis”. Journal of Family Practice. 41
  6. Ayala, E.S.; et al. (2009). “Treatments for blood-injury-injection phobia: a critical review of current evidence”. Journal of Psychiatric Research43
  7. Accurso, V.; et al. (August 2001). “Predisposition to Vasovagal Syncope in Subjects With Blood/Injury Phobia”. Circulation.
Margarida Reis
Latest posts by Margarida Reis (see all)
Written By
More from Margarida Reis

As Vantagens e Desvantagens da Revolução Industrial

As Vantagens e Desvantagens da Revolução Industrial A Revolução Industrial teve lugar...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *