ūü¶Ö Ornitofobia: Causas, Sintomas e Tratamentos Poss√≠veis

tudo sobre ornitofobia, causas, sintomas e possiveis tratamentos

Compreendendo melhor a Fobia de Aves, Ornitofobia

A fobia de aves cujo nome é ornitofobia, ou medo das aves, pode assumir muitas formas. Algumas pessoas temem apenas aves de rapina, como abutres, enquanto outras têm medo de animais domésticos como periquitos.



 

‚Ěď O que √© Ornitofobia

Um medo anormal e persistente das aves. Os que sofrem de ornitofobia sentem uma ansiedade indevida em relação ao encontro e mesmo ao ataque de aves, embora possam perceber que os seus medos são bastante irracionais.

Ornitofobia foi representado num filme de 1963, escrito pela romancista Daphne Du Maurier e pelo escritor de hist√≥rias de detetives Evan Hunter e realizado pelo inimit√°vel Alfred Hitchcock — The Birds. Os p√°ssaros de repente come√ßam a atacar as pessoas em n√ļmero cada vez maior e cada vez mais vicioso neste filme memor√°vel e muito assustador.

A palavra “ornitofobia” deriva do grego –¬† “ornithos” (p√°ssaro) e “fobos” (medo).

 


 

‚Ěď O que provoca a ornitofobia?

As fobias podem desenvolver-se em qualquer idade, embora muitas vezes se desenvolvam durante a inf√Ęncia. O que causa exatamente as fobias espec√≠ficas ainda n√£o √© claro.

Como todas as fobias animais, a causa mais comum de ornitofobia é um encontro negativo com o animal temido.

Muitas aves podem ser um pouco agressivas na caça à comida, sendo comuns as correrias infantis com pombos ou gaivotas curvadas a roubar pipocas, ou outros petiscos.

Não é necessário experimentar diretamente o encontro negativo. As aves por vezes voam através de janelas abertas ou de chaminés abaixo, provocando um tumulto em casa. Se os seus pais estivessem nervosos durante tais eventos, isto poderia ser suficiente para desencadear uma fobia também.

Algumas causas potenciais podem incluir:

  • Experi√™ncias pessoais. Se teve um incidente espec√≠fico ou uma experi√™ncia negativa envolvendo aves, como ser atacado por uma ave, pode desenvolver um medo delas.
  • Aprendizagem observacional. Se os seus pais ou algu√©m pr√≥ximo de si sofre de ornitofobia, pode aprender esse medo com eles.
  • Aprendizagem de informa√ß√£o. A leitura ou a audi√ß√£o de uma situa√ß√£o negativa, ou perigosa envolvendo aves pode fazer com que tenha medo delas.
  • Gen√©tica. Todos n√≥s processamos o medo e a ansiedade de forma diferente. Algumas pessoas podem nascer com tend√™ncia para serem mais ansiosas do que outras.

Características da ornitofobia

Ornitofobia é uma condição de ansiedade bem estudada e claramente estabelecida que é referida como uma fobia específica.

Os ornitofóbicos têm um medo desproporcionado, excessivo e irracional das aves, o que pode afetar negativamente o bem-estar do doente.

A ornitofobia ocorre quando alguém tem tanto medo das aves que uma fobia começa a desenvolver-se e estas começam a sentir sintomas. O mais óbvio é a ansiedade severa sempre que o doente vê uma ave.

Além disso, esta fobia pode ser detetada pela modificação e efeito negativo que tem sobre o comportamento do indivíduo. O medo das aves é tão intenso que o doente tenta evitar entrar em contacto com elas a todo o custo.

Dependendo do contexto, evitar permanentemente as aves pode revelar-se um pouco complicado: as aves vivem tanto em meio urbano como rural.


 

Crenças antigas

Diferentes folclore e crenças têm sido relacionadas com as aves que apresentam estas criaturas aéreas como maléficas e nocivas. Há crenças sobre o albatroz ser um mensageiro de má sorte ou os corvos serem mensageiros de morte e devastação. A concentração extrema neste tipo de superstição também pode levar uma pessoa a ser ornitofóbica.


 

O Medo das aves – Explicado

O medo das aves é um fenómeno que não é invulgar entre os humanos. Este pode ter origem em aves de rapina, que são poderosas e ameaçadoras. Se alguém tem medo de aves de rapina, pode desenvolver um medo de aves em geral.

No entanto, ter medo de um certo tipo de ave, ou apenas suspeitar delas, em geral, n√£o significa necessariamente que se sofra de ornitofobia.

Para que a condi√ß√£o seja diagnosticada como ornitofobia, o medo do indiv√≠duo deve ser de tal forma grave que lhe seja f√≥bico. Em geral, quando as pessoas que sofrem desta fobia v√™m uma ave, experimentam sensa√ß√Ķes de medo extremo.

√Č claro que as aves de rapina, como os abutres e as corujas, s√£o geralmente consideradas mais amea√ßadoras, provocando assim maiores sensa√ß√Ķes de medo do que outros animais, como periquitos ou aves mais pequenas.

No entanto, o medo associado à ornitofobia não pode ser racionalizado pelo pensamento lógico, pelo que este medo pode ser dirigido a qualquer tipo de ave. Para que este medo seja ornitofóbico, deve corresponder às seguintes características:

1 – Medo excessivo

As aves podem representar diferentes n√≠veis de amea√ßa, dependendo do tipo espec√≠fico de ave e do contexto. √Č claro que encontrar uma √°guia ou um abutre no meio da floresta √© algo que aterrorizaria a maioria das pessoas, o que √© compreens√≠vel: representam uma amea√ßa significativa para os seres humanos.

Para que este medo seja diagnosticado como ornitofobia, deve ser excessivo em todas as situa√ß√Ķes em que surge. Por outras palavras, o medo do indiv√≠duo n√£o est√° correlacionado com a amea√ßa real da situa√ß√£o.

As pessoas com ornitofobia experimentam um medo grave em circunst√Ęncias aparentemente inofensivas, em que o perigo real √© m√≠nimo ou nulo.

2 – Medo irracional

O medo excessivo e irracional pode ser explicado pelos mecanismos cognitivos que s√£o respons√°veis pelo controlo do medo.
A fobia das aves √© irracional; estas sensa√ß√Ķes de medo n√£o t√™m fundamento no pensamento racional ou coerente.

Isto pode ser observado e avaliado por terceiros, bem como pelo indivíduo que sofre de ornitofobia.

O doente sabe que o seu medo √© excessivo e injustificado, mas continua a senti-lo sempre que se exp√Ķe √†s aves.

3 – Medo incontrol√°vel

Embora o indivíduo esteja frequentemente consciente de que o seu medo é irracional, esta não é uma razão suficientemente forte para lhe permitir ultrapassar o seu medo.

O medo que acompanha a ornitofobia é completamente incontrolável. Ou seja, a pessoa não tem absolutamente nenhum controlo sobre o seu medo e não pode fazer nada para impedir o seu surgimento.

4 – O medo que provoca a evas√£o

Para que o medo das aves seja diagnosticado como ornitofobia, deve ter repercuss√Ķes diretas no indiv√≠duo. A preven√ß√£o de qualquer contacto com as aves √© um dos crit√©rios mais importantes para o diagn√≥stico desta doen√ßa. O doente tem tanto medo que tenta evitar alguma vez ter algo a ver com as aves.

5 – Medo persistente

Em certos momentos, as pessoas podem mostrar sinais de medo ou ansiedade superiores ao normal. Nesses casos, o contexto e o ambiente da ocorrência são importantes.

No entanto, um ornitof√≥bico ir√° sentir medo f√≥bico de forma persistente e independente da situa√ß√£o ou do contexto. Os que sofrem desta perturba√ß√£o mostram sempre sinais de grande ang√ļstia quando entram em contacto com aves.

6 – Medo que n√£o est√° relacionado com a idade

√Č normal que as crian√ßas tenham medo dos animais e, em particular, das aves. Durante a inf√Ęncia e a inf√Ęncia, este medo √© frequentemente maior do que o normal.

No entanto, a ornitofobia √© uma condi√ß√£o que n√£o tem qualquer rela√ß√£o com a idade. Pode surgir na inf√Ęncia ou na idade adulta e, em ambos os casos, caracteriza-se por um medo permanente e persistente. Algu√©m com ornitofobia continuar√° a experimentar sensa√ß√Ķes de medo f√≥bico das aves durante toda a sua vida, a menos que procure tratamento.


 

Sintomas da Ornitofobia

Segundo os manuais de diagn√≥stico, a ornitofobia √© um dist√ļrbio de ansiedade: os principais sintomas s√£o os de ansiedade.

Os inviduais que sofrem desta condi√ß√£o experimentam sensa√ß√Ķes elevadas de ansiedade, desde que sejam expostos ao objeto temido. No entanto, o seu nervosismo desaparece quando n√£o h√° aves nas proximidades e quando o doente j√° n√£o tem medo de que possa haver.

Assim, o principal fator que desencadeia os sintomas da ornitofobia √© o medo das aves. As manifesta√ß√Ķes de ansiedade s√£o graves, embora raramente atinjam a intensidade dos ataques de p√Ęnico.

A maioria dos peritos concorda que os sintomas da ornitofobia podem ser agrupados em três categorias: sintomas físicos, sintomas cognitivos e sintomas comportamentais.

1 РSintomas físicos

A Ornitofobia, como qualquer outro dist√ļrbio de ansiedade, causa altera√ß√Ķes no funcionamento f√≠sico do doente.

As manifesta√ß√Ķes desta ansiedade diferem de pessoa para pessoa. No entanto, estes sintomas apontam sempre para um aumento da atividade do sistema nervoso perif√©rico no c√©rebro.

Alguém com ornitofobia pode experimentar alguns dos seguintes sintomas quando vê uma ave:

  • Aumento do ritmo card√≠aco
  • Aumento da frequ√™ncia respirat√≥ria
  • Falta de ar, palpita√ß√Ķes ou taquicardia
  • Aumento da tens√£o muscular
  • Dores de est√īmago e/ou de cabe√ßa
  • Dilata√ß√£o da pupila
  • Aumento da transpira√ß√£o
  • Boca seca, tonturas, n√°useas ou v√≥mitos
  • Sintomas cognitivos

A principal característica da ornitofobia é o medo fóbico das aves. Este medo é irracional e é governado por vários pensamentos disfuncionais e distorcidos.

Os sintomas cognitivos da doença são os pensamentos irracionais de uma ornitofobia que sofre quando está perto de aves.
Estes pensamentos assumem várias formas e podem envolver muitos cenários diferentes, mas reforçam sempre uma imagem negativa das aves e da capacidade do doente para as enfrentar.

O aparecimento de pensamentos irracionais reforça os sintomas físicos e aumenta a ansiedade.

2 – Sintomas comportamentais

Por √ļltimo, a ornitofobia √© uma condi√ß√£o que afeta o comportamento do indiv√≠duo. Os sintomas comportamentais podem ser divididos em dois grupos: evitar e fugir.

A prevenção refere-se a todos os comportamentos do indivíduo que asseguram que este evita as aves. Estes comportamentos podem afectar negativamente a sua vida, uma vez que podem ser forçados a mudar os seus hábitos normais.

Por outro lado, a t√°tica de fuga surge quando o indiv√≠duo n√£o conseguiu evitar o contacto com as aves. Nessas ocasi√Ķes, a pessoa tentar√° afastar-se o mais rapidamente poss√≠vel.


 

Diagnóstico da Ornitofobia

Para poder ser diagnosticada, a ornitofobia deve cumprir os seguintes critérios:

  • Medo pronunciado e persistente, excessivo e irracional, desencadeado pela presen√ßa ou antecipa√ß√£o de uma ave (o est√≠mulo f√≥bico).
  • A exposi√ß√£o ao est√≠mulo f√≥bico provoca invariavelmente uma resposta de ansiedade instant√Ęnea.
  • A pessoa que sofre percebe que este medo √© excessivo e irracional.
  • O est√≠mulo f√≥bico √© evitado, ou confrontado, mas n√£o sem ansiedade ou ang√ļstia intensa.
  • T√°ticas de preven√ß√£o, antecipa√ß√£o da ansiedade ou ang√ļstia causada pelo est√≠mulo f√≥bico interferem significativamente com a rotina normal do indiv√≠duo, com o seu trabalho/vida acad√©mica ou social, ou podem desencadear n√≠veis clinicamente significativos de ang√ļstia.
  • Em menores de 18 anos, estes sintomas deveriam estar presentes h√° pelo menos seis meses.
  • Os sintomas de ansiedade e as t√°ticas de evas√£o n√£o podem ser explicados por qualquer outra perturba√ß√£o psicol√≥gica que o paciente possa ter.

 

Quando visitar um Médico?

Se os sintomas acima mencionados tiverem ocorrido durante um per√≠odo de tempo superior a seis meses e afetaram de alguma forma a sua vida di√°ria, precisa de consultar um m√©dico. A ornitofobia pode n√£o ser um grande problema para algu√©m que teme apenas aves grandes e nocivas como os abutres. √Č um problema quando uma pessoa come√ßa a ter medo at√© mesmo de uma fam√≠lia e normalmente encontra aves como corvos e pombos. Isto pode causar uma ang√ļstia not√°vel e evitar completamente o mundo exterior. Em tal situa√ß√£o, o tratamento torna-se necess√°rio.


 

Como é tratada a Ornitofobia?

A Ornitofobia pode ser tratada através de várias psicoterapias e medicamentos. Algumas das terapias eficazes utilizadas são:

Terapia de Exposição e Relaxamento

Este √© um dos m√©todos de tratamento muito eficazes utilizados para tratar a ornitofobia. O terapeuta exp√Ķe uma situa√ß√£o de medo √† frente da pessoa atrav√©s de uma imagem ou de um p√°ssaro real. As rea√ß√Ķes da pessoa s√£o registadas e estudadas atrav√©s de sess√Ķes regulares de exposi√ß√£o. O terapeuta tamb√©m ensina diferentes formas de relaxamento como a visualiza√ß√£o mental e o controlo da respira√ß√£o durante as exposi√ß√Ķes. Eventualmente, a pessoa √© capaz de ter toler√Ęncia para com o sujeito medroso.

Meditação como tratamento para o medo de pássaros

Existem muitas formas diferentes de medita√ß√£o que podem ser muito vantajosas para algu√©m que sofre de ornitofobia. Especificamente, a medita√ß√£o atenta tem demonstrado ser bastante ben√©fica para ajudar as pessoas a entrar num estado mais equ√Ęnime. Existem muitas formas diferentes de implementar a medita√ß√£o da mente e existem tamb√©m muitas aplica√ß√Ķes diferentes de medita√ß√£o que s√£o concebidas para tornar as coisas o mais f√°cil poss√≠vel para si.

A atenção tem o potencial de ajudar significativamente aqueles que sofrem de ornitofobia, devido à forma como isso os ajudará a distrair-se do seu medo, recentrando a sua atenção em algo que não tenha qualquer tipo de bagagem emocional, como, por exemplo, concentrando-se na respiração, por exemplo. Esta é uma das formas mais básicas de se poder meditar e estar presente.

Para algu√©m com ornitofobia no meio de um ataque de p√Ęnico, redirecionar a aten√ß√£o para as v√°rias sensa√ß√Ķes sentidas quando se respira pode realmente ajudar a reduzir a quantidade de ang√ļstia mental experimentada durante um tal influxo de ansiedade.

Para implementar a medita√ß√£o atenta para ajudar a aliviar os sintomas de ornitofobia, pode faz√™-lo prestando muita aten√ß√£o √† forma como os m√ļsculos do abd√≥men e do peito se contraem e relaxar a cada inspira√ß√£o e exala√ß√£o. Pode passar algum tempo a pensar como se sente √† medida que o seu peito se expande durante cada inspira√ß√£o e como se afunda a cada expira√ß√£o.

Além de se concentrar na sua respiração, pode também concentrar-se nos sons à sua volta, na forma como a sua pele se sente ao tocar em determinados objetos, na forma como os alimentos sabem, bem como na forma como certos aromas cheiram. Essencialmente, o afiar nos seus 5 sentidos pode ajudá-lo significativamente a reduzir alguma da ansiedade que está associada à ornitofobia. Além disso, lembre-se que será necessária muita prática para se tornar um meditador experiente. Por isso, a prática é fundamental.

Terapia Cognitiva Comportamental (TCC)

A TCC visa modificar os pensamentos e comportamentos negativos de uma pessoa. O terapeuta tem sess√Ķes regulares de conversa e partilha para que a pessoa reviva os pensamentos negativos internos relacionados com as aves. O terapeuta ajuda a construir uma perspectiva positiva em rela√ß√£o ao assunto e a recuperar uma vida normal.

Medicamentos

Apenas em casos graves, os medicamentos são utilizados para controlar a ansiedade. Os medicamentos comummente utilizados são medicamentos anti-ansiedade e antidepressivos. Só devem ser tomados sob prescrição médica rigorosa.

Yoga

Existem in√ļmeras poses diferentes de yoga que podem beneficiar substancialmente algu√©m que sofre de ornitofobia. Em parte, isto deve-se ao estado de esp√≠rito meditativo que o yoga tende a emitir naqueles que o praticam de uma forma consistente. O yoga pode ser pensado como medita√ß√£o em movimento. Pode ajudar a aliviar alguma da ansiedade associada √† ornitofobia, devido ao simples facto de, ao praticar yoga, a sua aten√ß√£o ser redirecionada para algo mais produtivo.

Existem muitos tipos diferentes de yoga que alguém com ornitofobia pode beneficiar, tais como hatha yoga ou yoga quente, entre muitos outros. No entanto, independentemente das muitas formas diferentes de yoga que existem, praticamente todas elas podem ajudar a aliviar algum do stress e ansiedade que está associado à ornitofobia.

Se nunca praticou yoga antes, então pode ser do seu interesse fazer uma aula ou ver alguns vídeos guiados que o podem ajudar em cada pose. Tal como com a meditação, quanto mais praticar yoga, mais adepto se tornará. Para além de o ajudar a reduzir os seus sintomas de ornitofobia, também pode esperar adquirir mais força e flexibilidade, entre outros benefícios.

Redução da Cafeína para acalmar a Ornitofobia

N√£o √© segredo que consumir grandes quantidades de cafe√≠na ao longo do dia pode contribuir para tornar-nos mais ansiosos. Isto faz sentido quando observamos de perto como a cafe√≠na afeta a fisiologia do nosso corpo. Quando consumimos uma dose elevada de cafe√≠na, o nosso cora√ß√£o vai come√ßar a bater mais depressa e ficamos mais tensos. Essencialmente, o nosso corpo come√ßar√° a entrar num estado de “luta ou fuga”. Tal estado de esp√≠rito √© muitas vezes um precursor para algu√©m com ornitofobia experimentar ataques de p√Ęnico.

Assim, consumir pouca ou nenhuma cafeína ao longo do dia pode ajudar significativamente a reduzir a ansiedade do dia a dia. Embora isso provavelmente não faça desaparecer toda a sua ansiedade, irá de facto ajudá-lo a reduzir qualquer sofrimento desnecessário que de outra forma teria sentido se tivesse de consumir uma grande quantidade de cafeína.

Bebidas como o café e o chá são frequentemente ricas em cafeína, assim como algumas bebidas energéticas. Na verdade, mesmo alguns alimentos também têm cafeína, como o chocolate preto. Estar mais consciente do seu consumo diário de cafeína pode ajudá-lo a reduzir alguns dos sintomas associados à ornitofobia.

Terapia Comportamental Dialética (TCD) para Ornitofobia

A Terapia Comportamental Dial√©tica √© uma forma de tratamento muito eficaz para as pessoas que lutam com a regula√ß√£o das emo√ß√Ķes. √Č frequentemente utilizado para tratar pessoas que sofrem de dist√ļrbios de personalidade lim√≠trofes. No entanto, tamb√©m pode ser muito vantajoso para algu√©m que sofre de dist√ļrbios de ansiedade como a ornitofobia. Isto deve-se √† quantidade de compet√™ncias que se pode esperar aprender num grupo DBT. Estes grupos duram normalmente cerca de 6 meses e podem ter desde duas a v√°rias pessoas, dependendo do n√ļmero de pessoas que se juntam ao grupo.

Uma habilidade muito eficaz do DBT para ajudar algu√©m com ornitofobia √© meio sorridente. Esta t√©cnica funciona ao fazer-nos pensar naquilo que tememos ou perturbamos, ao mesmo tempo que levant√°mos ligeiramente os cantos da boca ao sorrir levemente, da√≠ o termo “meio sorriso”. Embora n√£o seja suficiente pensar apenas no seu medo enquanto sorri a meio, tamb√©m tem de tentar abster-se de entreter as emo√ß√Ķes dolorosas que o seu medo espec√≠fico possa evocar.

A meditação atenta é também muito utilizada em DBT e pode beneficiar muito alguém com ornitofobia como é feito em grupo, o que ajuda a colocar o paciente fora da sua zona de conforto. Estas práticas de consciência de grupo podem incluir beber chá quente para aperfeiçoar o sentido do paladar e os sentidos tácteis ou simplesmente focar-se na respiração.


 

Medicamentos Psiqui√°tricos para Ornitofobia

Medicamentos anti-ansiedade

Estes tipos de medicamentos s√£o muito √ļteis para ajudar a prevenir ataques de p√Ęnico. Tais medicamentos podem ser extremamente √ļteis para pessoas que sofrem de ornitofobia grave, devido ao facto de as pessoas com fobias tamb√©m sofrerem frequentemente ataques de p√Ęnico. Alguns medicamentos anti ansiedade comuns incluem Xanax, Valium, e Klonopin, entre muitos outros.

Antidepressivos

Estes tipos de medicamentos n√£o s√£o apenas para pessoas que sofrem de depress√£o, pois tamb√©m podem ajudar pessoas que sofrem de dist√ļrbios de ansiedade, tais como a ornitofobia. Alguns antidepressivos comuns s√£o Paxil, Zoloft, e Lexapro, entre v√°rios outros. Estes medicamentos podem ajudar a reduzir alguns dos sintomas da ornitofobia.

Estes tipos de medicamentos s√£o normalmente tomados diariamente. Podem efetivamente ajudar a evitar a ocorr√™ncia de ataques de p√Ęnico, mas s√£o mais utilizados para ajudar a reduzir a ansiedade di√°ria das pessoas.

Fale com o seu médico para ver se a toma de antidepressivos pode ajudar a reduzir os seus sintomas de ornitofobia, bem como se é ou não seguro fazê-lo.

Exercício Físico

O exerc√≠cio f√≠sico tem demonstrado ser extremamente ben√©fico para as pessoas que sofrem de perturba√ß√Ķes de ansiedade, incluindo a ornitofobia. Especificamente, o exerc√≠cio cardiovascular pode ajudar significativamente a aliviar o stress. Isto n√£o quer dizer que o treino de resist√™ncia ao peso n√£o beneficiaria algu√©m com ansiedade, mas sim que o exerc√≠cio aer√≥bico tem demonstrado ser mais eficaz na liberta√ß√£o de subst√Ęncias qu√≠micas que se sentem bem no c√©rebro, tais como as endorfinas.

O exerc√≠cio pode ajudar a condicionar a mente para melhor lidar com situa√ß√Ķes estressantes. Isto faz sentido quando tomamos em considera√ß√£o a elevada quantidade de stress que o corpo √© submetido durante o exerc√≠cio extenuante. Assim, se voc√™ mesmo √© sedent√°rio, ent√£o o exerc√≠cio aer√≥bico pode ajudar significativamente a reduzir os sintomas de ornitofobia, tornando muito mais f√°cil para si lidar com a ansiedade e o stress associados a esta condi√ß√£o.

Existem muitas modalidades aeróbicas diferentes em que pode participar para ajudar a reduzir os seus sintomas de ornitofobia, tais como natação, ciclismo, esqui, caminhada e jogging. Também pode adquirir os muitos benefícios do exercício físico praticando desportos como o ténis, futebol e basquetebol, entre muitos outros desportos. A prática consistente de alguma forma de exercício pode ajudar a aliviar algumas das dores associadas à ornitofobia ao longo do tempo.


 

Referências

  1. London, Louis S. (January 1952). “Ailurophobia and ornithophobia”.¬†The Psychiatric Quarterly.¬†26¬†(1): 365‚Äď371.¬†doi:10.1007/BF01568473.¬†PMID¬†14949213
  2. Irena Milosevic; Randi E. McCabe (3 March 2015). Phobias: The Psychology of Irrational Fear. ABC-CLIO. p. 252. ISBN 978-1-61069-576-3
  3. What Are Anxiety Disorders? American Psychiatric Association. Reviewed January 2017.
  4. Pol√°k J, R√°dlov√° S, Janovcov√° M, Flegr J, Landov√° E, Frynta D. Scary and nasty beasts: Self-reported fear and disgust of common phobic animals. Br J Psychol. 2019. doi:10.1111/bjop.12409
  5. Pourrezaian H, Sohrabi F, Pourrezaian M. Effectiveness of Psychodrama in the Treatment of Ornithophobia (A Case Study). CPAP. 2014; 2 (10) :1-16
    URL: http://cpap.shahed.ac.ir/article-1-753-en.html
  6. Ackerl K, Atzmueller M, Grammer K. The scent of fear. Neuro Endocrinol Lett. 2002;23(2):79‚Äź84.
  7. Chen D, Katdare A, Lucas N. Chemosignals of fear enhance cognitive performance in humans. Chem Senses. 2006;31(5):415‚Äź423. doi:10.1093/chemse/bjj046
  8. ¬†¬ęCognitive Behavioral Therapy: Escape From the Binds of Tight Methodology – Psychiatric Times¬Ľ
  9. Valentine, Sarah E.; Bankoff, Sarah M.; Poulin, Ren√©e M.; Reidler, Esther B.; Pantalone, David W. (January 2015). “The Use of Dialectical Behavior Therapy Skills Training as Stand-Alone Treatment: A Systematic Review of the Treatment Outcome Literature”.¬†Journal of Clinical Psychology.¬†71¬†(1): 1‚Äď20.¬†doi:10.1002/jclp.22114.¬†PMID¬†25042066.
Margarida Reis
Latest posts by Margarida Reis (see all)
Written By
More from Margarida Reis

Nosofobia: (medo de Adoecer) Causas, Sintomas e Tratamentos

Tudo Sobre o Medo de Adoecer O medo de adoecer ou de...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *