24 Coisas Que Não Deve Fazer Numa Entrevista De Trabalho

Não faça isto numa Entrevista de trabalho

Parabéns por ter chegado à fase de entrevistas. Uma empresa reparou no seu currículo entre outros candidatos e convidou-o para uma reunião pessoal. A entrevista é um passo muito importante para o sucesso na procura de emprego, por isso tem que fazer o seu melhor para impressionar um entrevistador e ser selecionado para o trabalho.

Mas, porque é que as entrevistas são tão propensas a armadilhas conversacionais? Em parte, é porque você está ciente de ser julgado. Além disso, você só tem muito tempo para causar uma boa primeira impressão, e está a tentar fazê-lo ao mesmo tempo, em que transmite as suas qualificações para o trabalho e determina se o papel é um bom ajuste para você.

Numa entrevista, o seu objetivo principal é transmitir ao gerente de contratação o porquê de você – acima de todos os outros candidatos – é a pessoa certa para o trabalho. Que você tem o conjunto certo de habilidades, uma grande personalidade e o impulso para realmente fazer as coisas acontecerem no seu novo papel.

As entrevistas de trabalho tornam-se ainda mais importantes durante as más economias. A condição da economia, no entanto, não é a única coisa que tem tornado as entrevistas de emprego mais importantes ultimamente. O facto é que hoje em dia poucos empregadores estão a dar entrevistas tão facilmente e tão frequentemente como no passado.


Vamos ver agora o que não fazer numa entrevista:

1. “Qual é o Cargo?” – Este aqui é um grande exemplo do que não se deve dizer numa entrevista. Uma pergunta como esta mostra que você não se preparou para a entrevista e não leu uma descrição do cargo.

2. “Desculpe o atraso” – Escusado será dizer que a pontualidade é fulcral para fazer boa figura. O seu entrevistador não quer que chegue ao trabalho 20 minutos atrasado todas as manhãs. Ou dizer ao entrevistador que pode não poder ficar para a entrevista inteira. Tem de ter em mente que uma entrevista de emprego é um privilégio e não um direito. O que quer que tenha a acontecer na sua vida privada precisa de ocupar um segundo lugar na entrevista – é tão simples quanto isso. Exceto numa emergência extrema (morte, hospitalização, Terceira Guerra Mundial, etc.), não há razão para estar atrasado para uma entrevista e, se tiver mais alguma coisa a acontecer depois da entrevista, então precisa de a cancelar ou deixar que a outra pessoa saiba que vai chegar atrasado, mesmo que não saiba por quanto. Em geral, você precisa deixar o entrevistador decidir quando a entrevista vai terminar.

3. “Vou só atender esta chamada” – um grande número de candidatos pensa que não há problema em atender chamadas telefónicas, mensagens de texto, etc., durante uma entrevista. A não ser que seja algo urgente, atender telefonemas durante uma entrevista não é de bom tom.

4. O meu empregador anterior não prestava – Por muito aborrecidos que esses papéis possam ter sido, falar mal de um empregador anterior não só não é profissional, como também reflecte sobre o seu carácter.  Uma abordagem melhor é enfatizar porque a nova posição é atraente e, ao refletir sobre o seu trabalho atual, demonstrar o que aprendeu e as habilidades que você desenvolveu.

5. Dizer: “Eu terei  este trabalho” – quando lhe perguntarem onde se e vê daqui a cinco anos ou 10 anos. Mostrar confiança é uma coisa boa, mas declarações excessivamente arrogantes não vão agradar aos entrevistadores. Lembre-se que parte do que os gerentes de contratação estão a avaliar é se você se vai encaixar bem na equipa. Noutras palavras, dar a entender que é agradável de trabalhar consigo.

6. FlirtarEstá muito bonita(o)” – Evite qualquer comentário que possa ser interpretado como tentativa de flirt, por mais espantoso que o seu entrevistador pareça. Ainda que o entrevistador inicie ou encoraje a ação. Se você tiver que ‘flirtar’, espere até ter o trabalho. O entrevistador pode simplesmente estar a testá-lo para ver como reage a iniciativas sexuais. Mesmo que não seja esse o caso, ‘flirtar’ com alguém (mesmo que a pessoa seja alguém que você conhece, mas para quem não trabalhou) é um comportamento desnecessário. Talvez você tenha interpretado mal o gesto ou talvez a pessoa que realmente tomará a decisão final, ao descobrir sobre a sua simpatia com essa pessoa, não tenha a bondade da sua atitude. É melhor que mantenha uma abordagem profissional, mesmo que o entrevistador pareça não estar a fazer o mesmo.

7. “Eu não tenho consciência de nenhum ponto fraco” – quando lhe pedem para partilhar algumas falhas. Esteja sempre preparado para comunicar algumas fraquezas; apenas se certifique de que a qualidade(ou a falta dela) não é central para o trabalho. Não tente dizer coisas como: “A minha maior fraqueza é o perfecionismo”. Nem pense que consegue impressionar os seus entrevistadores com esta frase. É um cliché muito usado. Tente evitá-la e obtenha uma resposta genuína.

8. “Posso trabalhar em casa” ou “Quanto tempo de férias terei?” – Guarde este tipo de perguntas até que lhe seja oferecido o cargo ou o empregador possa questionar a sua motivação, ou ética de trabalho. Mas será melhor deixar este tipo de questões para quando já tiver sido contratado pela empresa.

9. “Eu faço o que for preciso” – A maioria dos agentes de recrutamento está a procurar pessoas incrivelmente apaixonadas pelo papel a que se estão a candidatar. Então, quando você diz algo como: “Eu não me importo com os empregos que você tem disponíveis – eu farei qualquer coisa!”, isso é pode ser mal interpretado. Em vez disso, direcione a sua busca para um papel específico em cada empresa, e esteja pronto para explicar porque é exatamente o que está à procura.

10. “Eu sei que não tenho muita experiência, mas…” – Este erro é fácil de cometer, especialmente se você é um graduado recente ou se está a mudar carreira. O problema é que quando pede desculpas pela experiência que não tem, que não é exatamente o adequado para o papel, ou mesmo que você estaria a começar da estaca zero. E esse não é o caso! Em vez de chamar a atenção para as suas fraquezas, mantenha-se positivo, concentre-se nos seus pontos fortes e lance-se imediatamente nas suas capacidades transferíveis e no seu entusiasmo contagiante pelo cargo.

Nesta situação, o que não quer fazer é mentir. Ao fingir que tem experiência que não tem, está a colocar as  suas chances de emprego em grande risco. Será bastante óbvio para o entrevistador se estiver a falar de experiência de trabalho passada que não tem ou não tem conhecimento. Isto irá levá-los a questionar a sua integridade e arruinar qualquer chance de conseguir o emprego. Se foi honesto, é provável que o entrevistador valorize isso do que as respostas que são completamente inventadas. Não existe coisa como experiência de trabalho irrelevante. As suas experiências profissionais são muito mais transferíveis e relevantes do que pensa.

11. “Eu não sei” – Esta é uma das principais coisas a não dizer numa entrevista. Tente encontrar uma maneira melhor de responder à pergunta que lhe foi feita, mesmo que não tenha a certeza com a sua resposta. É hora de demonstrar habilidades de comunicação altamente desenvolvidas.

12. “Quando é que acaba a entrevista” – Mesmo que você tenha o compromisso mais importante do mundo, nunca mostre aos recrutadores que está com pressa. Não mostre que tem coisas mais importantes do que esta entrevista.

13. Perguntar “Como é que correu?” ao entrevistador – Mais uma vez, a confiança na sua experiência e conhecimento é muito importante para a contratação de gestores. Se você estava bem preparado, não precisa perguntar isso. Confie nos seus conhecimentos e habilidades.

14. Lutar / Discutir por um bom salário mesmo antes de o trabalho ser oferecido. Na melhor das hipóteses, isto é presunçoso. Primeiro, deixe um empregador decidir se é o melhor candidato para o trabalho. Uma vez estabelecido isto, pode usar a situação a seu favor. Não tente que uma empresa corresponda à oferta de outra, não há duas empresas iguais e há uma variedade de razões para salários diferentes. O melhor momento para negociar o seu salário inicial e outros componentes da sua remuneração total é depois de receber, mas antes de aceitar a oferta de emprego.

Na verdade, uma alternativa seria aceitar o emprego com o salário oferecido e, depois de se provar, fazer um ‘pitch’ para uma melhor compensação. Mas não ameace demitir-se como forma de tentar forçar um aumento. O seu empregador pode aceitar a oferta e deixá-lo despedir-se, ou dar-lhe o aumento por causa da ameaça, mas agora vê-lo-á como alguém com um pé fora da porta.

15. Negociando somente por dinheiro Se mais dinheiro estiver fora de questão, negociar outros aspetos do trabalho que podem ajudá-lo a alcançar um equilíbrio saudável entre a vida profissional e familiar.

16. Não se preparar para a entrevista – A preparação é fundamental! Preparar respostas potenciais de antemão permitirá que entre na sala de entrevistas sentindo-se confiante e pronto para lidar com essas questões complicadas. Isto é particularmente útil se tiver uma experiência de trabalho limitada. Ter uma resposta com um exemplo prático em mente terá mais hipóteses de impressionar o entrevistador. Em vez de tentar pensar num exemplo no local que corre o risco de não conseguir responder à pergunta.

17.Mentir sobre algo que os empregadores podem verificar ou confirmar – Na verdade, nunca deve mentir, especialmente sobre coisas que podem ser verificadas. Isto inclui o tipo de formação académica que obteve e onde, que posições de trabalho fez no passado, para quem trabalhou, e por quais objetivos alcançou ao longo do seu percurso profissional.

18. Estar mal vestido, cheirar mal, ou mostrar sinais de má higiene pessoal – Se é relaxado neste aspeto, tente não demonstrá-lo até depois de conseguir o emprego, quando as pessoas estão mais propensas a aceitar ou perdoar. Os entrevistadores de emprego estão atentos a cada comportamento que faça, linguagem corporal e antecedentes e, uma vez que têm dezenas de outras pessoas a competir pelo mesmo emprego, por que deveriam contratar uma pessoa descuidada com o seu aspeto?

19. Entrando em confronto negativamente de alguma forma com o entrevistador. Em geral, não corrija o entrevistador se ele fizer algo errado, mesmo que seja tão simples como pronunciar mal o seu nome. Corrigir as pessoas pode colocá-las na defensiva. Deve manter uma atitude positiva ao longo de toda a entrevista, mesmo que o entrevistador seja rude. Para ser bem-sucedido a longo prazo, deve expressar as suas opiniões honestas durante uma entrevista, apresentando-se como é, não alguém que você pensa que o empregador quer que seja. Na verdade, as entrevistas mais envolventes – para ambos os lados – têm alguma forma de discordância saudável que demonstra a capacidade do entrevistado de ser curioso e colaborativo. Mas nunca entre em confrontos diretos de forma agressiva

20. “Eu não tenho perguntas para si” – Prepare algumas questões a fazer que se baseiem na pesquisa que fez acerca da empresa ou algo que o seu entrevistador tenha partilhado consigo.

21. “Está no Meu Currículo” – Normalmente a pessoa que o vai entrevistar tirou um tempo para ler o seu CV. Às vezes, quando lhe perguntam algo que está descrito no seu CV, o objetivo é que fale mais acerca disso e de como foi a sua experiência e o que aprendeu com isso.

22. Evitar perguntas diretas ou mudanças de assunto bruscas. Tentar, por exemplo, mudar o assunto sorrateiramente quando lhe perguntam por que foi dispensado do seu último emprego não é uma boa ideia, nem é inventar uma razão para o contratempo. Em vez de andar com rodeios, responda a todas as perguntas diretamente, mantendo as suas respostas tão curtas, profissionais e objetivas quanto possível.

23. Falar incessantemente depois de cada pergunta. Em geral, mantenha as suas respostas curtas, objetivas e diretas. Falar demais fará com que o entrevistador pense que você está demasiado confiante de si mesmo, ou muito desconcentrado – nenhuma das quais é muito requisitada hoje em dia. Tenha em atenção também que provavelmente a pessoa que o está a entrevistar, tem mais entrevistas marcadas para o resto do dia. Se você não se cala o tempo todo, além de cansar o entrevistador, pode afetar a concentração deste, levando até a não querer perguntar mais nada. Lembre-se: repostas diretas e objetivas.

24. Falar muito pouco – Do outro lado da moeda temos: falar pouco ou dar repostas não muito descritivas. Dependendo da sua área profissional, pode ter que falar mais ou menos. Por exemplo: se está numa entrevista para vendedor, um dos requisitos será ser um ótimo orador. Tenha em atenção as repostas demasiado curtas, pois podem dar a entender que está demasiado nervoso ou que tem algo a esconder.

 


Conclusão

Entre na entrevista com um objetivo de carreira clara. Concentre-se no seu percurso profissional e por que você acha que este trabalho é mais adequado para você. Se você entrar na entrevista incerto e hesitante em relação ao papel, o entrevistador pode começar a duvidar do seu compromisso com a sua potencial nova carreira.

Há coisas que pode dizer que o ajudarão a causar uma boa impressão no entrevistador. Saber o que dizer numa entrevista, assim como o que não dizer, vai ajudá-lo a ser contratado.

Margarida Reis
Latest posts by Margarida Reis (see all)
Written By
More from Margarida Reis

As Vantagens e Desvantagens da Amamentação

Os Prós e Contras da Amamentação Há muitos aspetos positivos e benefícios...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *